VOLTAR PARA OS TEMAS

[DMC] MODELO ENEM - ROLEZINHOS

ENEM

ROLEZINHOS

MODELO ENEM

ID: DMC


Texto I

Professora de Oxford diz que jovens só querem se divertir em "rolezinhos"

Como os shoppings deveriam lidar com os rolezinhos?

Numa sociedade democrática, a única saída é permitir e aceitar. Não tem como impedir porque qualquer impedimento será sempre discriminatório, uma vez que não tem como medir e avaliar quem é possível membro dos "rolezinhos". Os índices de furto não aumentaram, não há argumentos legítimos para proibir. A concepção de distúrbio da ordem é bastante relativa. Como definir objetivamente ordem? Não tem saída, é preciso permitir.

Há preconceito na reação dos shoppings?

Totalmente. Preconceito e discriminação. Nós temos uma história muito triste em nossa humanidade de apartheid. Para que continuar a fazer atos que nos lembrem desse momento?

Boa parte dos trabalhadores dos shoppings são moradores de periferia. Há preconceito destes contra os jovens de sua mesma classe social que participam dos "rolezinhos"?

Sim, totalmente. O que tenho visto nas redes sociais (...) é que existe um grande preconceito na mesma classe social. Isso é um (...) mecanismo de defesa e distinção. Muita gente opta pelo caminho oposto: em vez de brigar contra o preconceito que sofre, torna-se um aliado dele. (...) A sociedade brasileira está totalmente dividida entre apoiadores e pessoas que desprezam o movimento. O Estado, quando envia a polícia, mostra que ainda temos muito a aprender sobre como exercer nossa democracia.

http://www.douradosinforma.com.br/opiniao/entrevistas/professora-de-oxford-diz-que-jovens-so-querem-se-divertir-em-rolezinhos


Texto II

(...) os rolezinhos são um movimento difuso e amplo, de diversão e de política. Porém, todos eles mantêm o shopping como um lugar central. Independente da intenção, o rolezinho só faz sentido no templo do consumo, no coração da sociedade capitalista. Nada disso é novo: os grupos populares brasileiros, desde a abolição da escravatura, sempre ocuparam espaços da cidade como forma de diversão investida de política. (...)Os jovens da periferia, se estavam interessados apenas em dar um rolê, agora estão se dando conta de sua força. E não têm se contentado em ser parte daquele Brasil arcaico, que se esconde longe dos olhos da população em sua cega zona de conforto. Esses jovens querem ser vistos com sua capa de super-herói. Eles não querem ser reconhecidos por meio da exotização e da romantização da cultura popular, mas por uma apropriação singular dos símbolos mais altos do poder (as marcas) e dos espaços (os shoppings). O rolezinho é um alívio temporário capaz de transmutar exclusão em inclusão – inclusão ainda longe de ser de fato e de direito.

http://zh.clicrbs.com.br/rs/entretenimento/noticia/2014/01/o-rolezinho-e-bom-para-pensar-o-brasil-4393934.html


Texto III

(...) embora os shoppings sejam propriedades privadas, eles são abertos ao público e, sendo assim, não se pode fazer seleção de quem entra ou não com base em critérios subjetivos.
Quanto a isso, a lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, estabelece que é crime “recusar ou impedir acesso a estabelecimento comercial, negando-se a servir, atender ou receber cliente ou comprador” (...) se o shopping usasse critérios objetivos, como idade, ele poderia restringir seu público. (...) Shopping não é apenas propriedade privada.
(...) O juiz fica ancorado na Constituição que (...) tem argumentos para dar razão para todo mundo.Afinal, diz um inciso do artigo 5º: “todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização”. E não muito longe deste ponto está escrito: “é garantido o direito de propriedade”. (...). O shopping não pode proibir a entrada de pessoas ou a reunião de grupos dentro de sua área, porque, apesar de ser uma propriedade privada, ele desempenha uma função pública, são espaços de uso público.

http://exame.abril.com.br/brasil/as-razoes-para-a-justica-ser-a-favor-ou-contra-os-rolezinhos-2/


PROPOSTA DE REDAÇÃO: A partir do material de apoio e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo, em norma padrão da língua portuguesa, que responda à pergunta-tema: O que o fenômeno social dos “rolezinhos” representa no Brasil do século XXI? Apresente, ao final, uma proposta de intervenção social que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione,de maneira coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.


#RUMOÀNOTAMIL