VOLTAR PARA OS TEMAS

[FPV] EF - CONTO POLICIAL - O JANTAR, A PRISÃO

CONTO - EF

O JANTAR, A PRISÃO

CONTO POLICIAL

ID: FPV


CONTO POLICIAL é um gênero literário que tem como característica básica a existência de um crime a ser desvendado – o escritor, além da cena do crime, deverá revelar a estratégia da investigação, até que o leitor conheça o criminoso. É comum adotar um detetive, personagem determinante, porque, em meio ao mistério, é o detetive quem vai passar por instantes de perigo.

É importante anotar que, em contos policiais bem elaborados, o leitor também se comporta como o detetive, tamanho o interesse em desvendar a situação.

O autor, quase sempre, explora ambientações escuras ou desertas.(Procure se lembrar de cenas/episódios de filmes policiais aos quais você, certamente, já assistiu.)

O autor de contos policiais, antes de esclarecer os fatos, mistura “pistas” falsas às verdadeiras, a fim de que o leitor possa ser surpreendido com o desfecho do conto.

***

CONTEXTUALIZAÇÃO: Alberto recebeu um telefonema – supostamente, um amigo de infância, do qual ele não se lembrava bem, convidou-o para jantar. Mas algo inesperado aconteceu: o amigo nem havia chegado ao restaurante, e alguns policiais entraram ali, deram-lhe voz de prisão, alegando que Alberto era suspeito de ter cometido um crime. De fato, os jornais tinham noticiado um crime no bairro. Talvez seja o caso de contratar um advogado ou um... detetive!

PROPOSTA DE REDAÇÃO: Você deverá explorar a cena e escrever um conto policial de, aproximadamente, 30 linhas. Aproveite os detalhes que foram “plantados” na contextualização.

Pense, levante hipóteses! Não economize criatividade! 

. Esteja certo de que ninguém pensaria naquilo que você pensou – isso é ser original.

. Não tenha preguiça de escrever e reescrever o texto – o segundo é sempre melhor do que o primeiro; o terceiro, muito, muito melhor do que o segundo...

. Até o final de seu conto, o leitor pretenderá encontrar respostas para: o quê?, quem?, como?, quando?, por quê?, e então...

. Antes de entregar sua produção textual ao corretor, releia o que escreveu, faça a autocrítica e a autocorreção: confira se seu texto está fácil de ser entendido, se as frases e parágrafos estão bem ligados, se as ações seguem numa sequência cronológica e não se embaralham, se não há repetições nem sobra de palavras, se a ortografia, a acentuação gráfica, as pontuações e os plurais estão corretos.