VOLTAR PARA OS TEMAS

[G1D] EF - ARTIGO - PANDEMIA E EDUCAÇÃO

ARTIGO DE OPINIÃO - EF

PANDEMIA E EDUCAÇÃO

ARTIGO DE OPINIÃO

ID: G1D


Texto I

(...) em uma das pesquisas, por exemplo, foram entrevistadas mais de 24 mil pessoas de 15 a 29 anos de idade, e mostrou que 28% pensam em não retornar os estudos após o fim do isolamento.


https://www.inteligenciadevida.com.br/wp-content/uploads/2020/07/Arte-juventude-na-pandemia-768x1024.jpg, adaptado


Texto II

Educação e escola, ainda que se relacionem, não são expressões sinônimas. É possível haver educação fora dos limites da escola, especialmente nesse instante em que a pandemia obriga a comunidade escolar ao distanciamento como condição à manutenção da vida. (...) Toda a comunidade escolar teve de se reinventar, a fim de que a Educação não colapsasse. (...) Jornadas longas e atípicas levaram professores e alunos a situações de estresse de depressão.

Gislaine Buosi


COMANDO: Os textos acima são o ponto de partida para um ARTIGO DE OPINIÃO sobre o tema: Os impactos da pandemia na educação dos jovens. A leitura e a interpretação do infográfico (dados numéricos/percentuais) deverão ser aproveitadas ao longo da argumentação. 

Escreva de 20 a 25 linhas.


***


Você já sabe, mas não custa lembrar...

ARTIGO DE OPINIÃO, como o próprio nome adianta, é um texto em que o autor expõe seu ponto de vista a respeito de algum tema polêmico. É um gênero textual que se apropria, predominantemente, do tipo dissertativo. Dá-se o nome de articulista àquele que escreve o Artigo.

Inserido nos grandes jornais, o Artigo é um serviço prestado ao leitor, com o objetivo de convencê-lo acerca não só da importância do tema ali enfrentado, como também da relevância do posicionamento do articulista. São comuns o apelo emotivo, as acusações, o humor, a ironia – tudo baseado em informações factuais.

O Artigo, geralmente, é escrito na 1.ª pessoa, leva título e assinatura.

A estrutura do Artigo de Opinião, ainda que maleável, procura seguir:

. Introdução, com a apresentação do tema e da tese a ser defendida;

. Desenvolvimento, com as argumentações para a defesa da tese e

. Conclusão, com a reafirmação da tese e a provocação do leitor, encaminhando-o para as próprias reflexões.

ALERTA! Cuidado com as armadilhas da primeira pessoa: Ainda que você desenvolva um texto de opinião, não escreva: “eu acho que”; “na minha opinião”; “no meu modo de pensar” etc., porque essas expressões são consideradas armadilhas da primeira pessoa.