VOLTAR PARA OS TEMAS

EM - DISSERTAÇÃO - MODELO UERJ - FUNDAMENTALIMO RELIGIOSO E CONTROLE SOCIAL - O CONTO DA AIA

UERJ

MODELO UERJ – ID: IRB

OBRA LITERÁRIA “O CONTO DA AIA” – MARGARETH ATWOOD

Tema: Fundamentalismo religioso e controle social


A Universidade Estadual do Rio de Janeiro selecionou a obra “O conto da aia”, de Margareth Atwood, romancista canadense, para base do tema da redação do vestibular de 2025. O livro, referência na literatura feminista, foi originalmente publicado em 1985.




Disponível em: https://www.pexels.com/pt-br/foto/foto-de-uma-mulher-sentada-ao-lado-da-estatua-3778550/. Acesso em 15.mai.2024.


Em linhas gerais, “O Conto da Aia” é um romance distópico, cujo enredo é ambientado em um futuro próximo, na República de Gilead, uma teocracia totalitária que tomou o lugar dos Estados Unidos da América. Em Gilead, as mulheres têm seus direitos completamente retirados e são categorizadas estritamente com base em suas funções: esposas (mulheres dos comandantes), aias (mulheres férteis forçadas a servirem como reprodutoras), marthas (servas e cozinheiras), e tias (instrutoras das aias).

A protagonista do enredo é Offred, uma aia cujo nome significa "De Fred" - ou seja, pertencente a Fred, um Comandante a quem ela serve. Offred, antes da ascensão de Gilead, tinha uma vida normal com seu marido e filha, mas, após o golpe de Estado, ela é capturada enquanto tenta fugir para o Canadá, e é forçada a se tornar uma aia. Seu papel é procriar com o Comandante durante cerimônias rituais (enquanto a Esposa dele está presente), numa tentativa de remediar a queda drástica nas taxas de natalidade.

A narrativa de Offred intercala suas experiências atuais com flashbacks de sua vida antes e durante o início de Gilead, revelando a perda progressiva de direitos das mulheres e a ascensão do regime opressivo. Offred, apesar de viver em constante vigilância e opressão – institucionalizadas –, encontra maneiras de resistir – chega, inclusive, a ter um relacionamento com Nick, o motorista do Comandante.

Offred e Nick desenvolvem um relacionamento íntimo, que é tanto uma forma de conforto quanto de resistência ao regime opressivo em que vivem. Este relacionamento é complexo e cheio de riscos, dado o contexto autoritário e as severas punições para tais atos de desobediência.

O livro explora temas como o poder e a autonomia pessoal, a subjugação das mulheres e o uso da religião como instrumento de controle. A história termina em um tom ambíguo, com Offred sendo levada por membros da resistência (ou pela polícia secreta de Gilead) para um destino desconhecido.

Prof.ª Gislaine Buosi


CONTEXTUALIZAÇÃO: A leitura de “O conto de aia” leva o leitor à sólida constatação da vulnerabilidade das liberdades individuais das mulheres, em especial à autonomia corporal, religiosa e intelectual, sob regimes totalitários. A escrita visceral de Margareth Atwood joga luz em situações que são, hoje, noticiadas no Brasil e no mundo, as quais descortinam a manipulação da fé para justificar a opressão e a desigualdade de oportunidades sociopolíticas entre homens e mulheres – um franco sinal de que o tema é um recorte não só da história, como também na atualidade e, segundo a distopia provocada pela autora, do futuro.



PROPOSTA DE REDAÇÃO: A partir da leitura do romance “O conto e aia” e de suas próprias reflexões sobre o tema levantado pela autora, escreva uma redação argumentativo-dissertativa, em prosa, de 20 a 30 linhas, sobre o seguinte tema: O uso da religião como ferramenta de controle social, em detrimento dos direitos das mulheres.

REDIGIR A MAIS LTDA. Copyright © 2021. All rights reserved.