PUC-MG: VESTIBULAR 2015/2


A grande maioria dos países do mundo convive, ainda hoje, com a desigualdade social e a pobreza extrema. Em maior ou menor escala, a pobreza está presente tanto nos países ricos quanto nos pobres. A desigualdade social, porém, é um problema típico dos países não desenvolvidos.

Segundo o pesquisador Márcio Pochmann, o Brasil posicionou-se, nos anos 80, entre as oito principais economias capitalistas do mundo. Ao mesmo tempo, no entanto, consolidou-se como uma das mais desiguais do planeta. Subimos uma posição no ranking da economia, acumulando um crescimento de 36,4% no Índice de Desenvolvimento Humano e avançado significativamente em pontos como o aumento da expectativa de vida, da renda e do tempo de estudo.

A desigualdade social, no entanto, está profundamente arraigada em nossa sociedade. De acordo ainda com Pochmann, autor de um Atlas de Desigualdade Social no Brasil, quase metade de toda a renda nacional é aproveitada por apenas 5 mil famílias... Mulheres e homens, negros e brancos, pobres e ricos têm possibilidades e condições de existência muito diferentes...

***

Após um ciclo de debates acerca da desigualdade social no Brasil, promovido em sua escola, demandou-se dos alunos que produzissem uma carta, dirigida ao Poder Público (municipal, estadual ou federal), posicionando-se quanto aos passos eventualmente dados por essas instâncias com o objetivo de reduzir a desigualdade entre os cidadãos, em qualquer uma de suas manifestações, e propondo, de forma fundamentada, medidas destinadas à redução/eliminação de determinada espécie de desequilíbrio que demande a Intervenção do Município, do Estado ou da União.


Na condição de um(a) aluno(a) do ensino médio, assumindo o ponto de vista de um integrante de qualquer grupo minoritário, redija essa carta, apresentado, de forma objetiva e fundamentada, seu ponto de vista e suas proposições.


BOAS ATIVIDADES!