CONTO DE HUMOR

CADEIRAS, CADEIRAS E MAIS CADEIRAS!

ID: ENM


Você já sabe, mas não custa lembrar...

O CONTO DE HUMOR, como o próprio nome antecipa, é a narrativa em que escritor compõe cenas engraçadas, surpreendentes, e, muitas vezes, o leitor identifica-se com elas, porque são situações comuns, extraídas do cotidiano, capazes de render textos agradáveis e engraçados.


IMPORTANTE: CONTOS DE HUMOR NÃO SÃO PIADAS! O HUMOR É LEVE E REFINADO!


Atenção à estrutura tradicional do conto: apresentação das personagens (quem?), do tempo (quando?) e do espaço (onde?); complicação (o que aconteceu?); clímax (momento de maior suspense) e desfecho (final da trama).


Leia o trecho de Gislaine Buosi, que, valendo-se de uma situação cotidiana, escreveu uma cena bem humorada. Observe também a escolha de vocabulário simples, próprio para uma leitura rápida:

Dona Marisa não sabia que não sabia pilotar motocicletas. Naquele dia, a diretora da escola mandou chamá-la. “Hummm... Talvez o meu caçula tenha aprontado alguma das suas, ou talvez esteja com febre, ou, quem sabe?, entornou o guaraná na camiseta do uniforme, ou, Deus do céu!, caiu e quebrou o braço...”. À falta de outra condução, a motocicleta como que acenava a ela. Foi então que resolveu: montou, deu a partida, dobrou o descanso e... Para encurtar a cena, a motocicleta chegou bem antes que Dona Marisa à escola. A mocinha do ambulatório socorreu a pobre mulher: “Dona Marisa, a senhora está com o braço quebrado!”. 


PROPOSTA DE REDAÇÃO

O texto não verbal abaixo é o ponto de partida para seu CONTO DE HUMOR. Imagine que você esteja em casa de uns amigos, até que, de repente...

Escreva, aproximadamente, 30 linhas.



https://issuu.com/sescsp/docs/2014_agosto_revista_e_ano_21_n_2


SUPER DICAS: