ESTILO ENEM

GERAÇÃO NEM-NEM

(ID: EAV)


TEXTO I



https://abrilveja.files.wordpress.com/2017/07/a-desocupacao-dos-jovens.png


TEXTO II

A "geração nem-nem" 

Um em cada cinco brasileiros entre 18 e 25 anos não trabalha nem estuda. É a chamada "geração nem-nem", dimensionada em estudo da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Esses jovens são vítimas de um "desalento estrutural", como analisou Fernando de Holanda Filho, professor da Fundação Getúlio Vargas, ao jornal O Globo (16/9). Ou seja: são pessoas que desistiram de procurar trabalho, porque não têm quase nenhuma qualificação, e tampouco querem voltar a estudar, porque não se sentem atraídas pela escola.

https://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,a-geracao-nem-nem-imp-,935944


TEXTO III

Os jovens brasileiros considerados “nem-nens” ou “desengajados” têm diversas razões para estarem assim. A primeira delas é o que as autoras chamam de barreiras à motivação interna, ou seja, falta de aspiração ou predisposição para voltar aos estudos ou ao trabalho. Nesse perfil, encontram-se principalmente as mulheres casadas e com filhos pequenos, vivendo sob normas sociais que reforçam seu papel de cuidadoras e restringem suas oportunidades econômicas.

No segundo grupo, estão aqueles que expressaram motivação para voltar a trabalhar ou estudar, mas não tomaram uma providência porque lhes faltam as ferramentas necessárias para realizar essa aspiração. Embora muitos dos entrevistados tenham se inscrito no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ou enviado currículos, não deram continuidade a esses esforços. “Como esses jovens não tiveram contato com pessoas cujas carreiras fossem interessantes, não conseguiram encarar suas aspirações como algo realista nem receberam informações sobre como realizá-las. A escola tampouco os apoiou”, informa o documento.

Por último, o estudo conta a história de jovens que, embora tenham se esforçado para estudar ou trabalhar, desistiram por causa de barreiras externas. Entre elas, os desafios de conciliar emprego e sala de aula, poucos recursos financeiros ou qualificação, falta de transporte público seguro para se locomover entre uma atividade e outra, e a crise econômica do país. As que já são mães ainda relataram a discriminação que sofreram por parte de potenciais empregadores.

https://www.ecodebate.com.br/2018/03/26/geracao-nem-nem-jovens-que-nao-estudam-nem-trabalham-escolha-ou-falta-de-opcoes/


TEXTO IV

Os jovens da geração nem-nem demonstram falta de garra, de ambição, da noção de que se deve lutar pelo seu futuro e não deixar essa responsabilidade na mão dos pais. Como educador, me preocupa a percepção dos jovens de hoje em dia em relação ao futuro: ao futuro individual, às perspectivas de vida futura, profissão, trabalho, dedicação – enfim, à velhice. Os jovens de hoje não têm uma preocupação com o que poderá acontecer amanhã. Vagas de trabalho são escassas e disputadas, mas não vejo ânimo para buscá-las. Na verdade, a maioria dos jovens as busca, mas não com a intensidade e a vontade de efetivamente consegui-las.

https://www.gazetadopovo.com.br/opiniao/artigos/a-geracao-nem-nem-arpjjoc29d161corug6mtdtwn/


PROPOSTA DE REDAÇÃO: A partir do material de apoio e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo, em norma padrão da língua portuguesa, sobre o tema:


"Os impactos sociais da “geração nem-nem” no Brasil contemporâneo.”


Apresente, ao final, uma proposta de intervenção social que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de maneira coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.